segunda-feira, 30 de junho de 2008

Sem tempo


Na correria do dia-a-dia

A morte não parava

E eu, correndo, me ia

quarta-feira, 25 de junho de 2008

O “islamismo” petista

Pesquisas científicas e de renomados nomes da medicina já comprovaram que a ingestão de um cálice de vinho às refeições reduz sensivelmente a possibilidade de doenças cardíacas e infartos. Apenas um cálice. A maioria das pessoas após almoçar ou jantar precisam utilizar seu carro para continuar as atividades normais do dia-a-dia. Um cálice não embriaga, não impede ninguém de continuar a ser produtivo, socialmente útil.

A nova legislação de trânsito sancionada pelo presidente Lula diz o contrário. Um cidadão exemplar, pai de família, que nunca recebeu uma única multa no trânsito, que faz direção defensiva, mas que era acostumado a tomar uma única taça de vinho às refeições, até como remédio, passou a ser um infrator.

Se for apanhado conduzindo um carro, mesmo não estando nem de longe tecnicamente embriagado, o cidadão pagador de impostos, trabalhador, produtivo e lúcido, depois de uma única taça de vinho, considerada salutar para o coração pela medicina, é um criminoso. Pior. Como a lei fala em “zero” de teor alcoólico, até quem faz uso de remédios homeopáticos, que contém álcool na fórmula, está, legalmente, transgredindo a lei. A homeopatia é delinqüente.

A mesma lei que trata com todo o rigor o consumo de álcool ao volante não tem mecanismos para mensurar ou coibir drogas ilícitas. Maconha, cocainha, LSD, Exctase, não podem ser detectados pelo “bafômetro”, agora obrigatórios para os motoristas.

Um cidadão que passou a noite nas badaladas festas “rave”, a base de Exctase, só consome água para se reidratar. Seus reflexos estarão bem mais prejudicados do que o outro cidadão que apenas tomou sua dose “medicinal” de vinho ao jantar com sua família num restaurante. Se ambos forem parados numa blitz e obrigados a fazer o “bafômetro”, pela nova lei imposta, a taça de vinho será presa. Já o êxtase, solto.

Não se trata aqui de defender os motoristas que dirigem alcoolizados. Pelo contrário, o código de trânsito já previa as punições para o delito. Trata-se de defender o direito mínimo do cidadão. A nova legislação, sancionada pelo presidente Lula, sob idealização do ministro da Saúde, José Gomes Temporão, que realiza uma cruzada “islâmica” contra o álcool, expõe a face autoritária do Estado, determina regras ditatoriais ao cidadão. Na prática, a nova lei dá poderes ilimitados para os aparatos do estado e tira do cidadão o direito universal à defesa.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Evangelização

Agora não podemos bebê

Nadinha

Assim manda o petê

sábado, 21 de junho de 2008

Mundo do cão

Hoje, começo o texto pedindo desculpas, pois sei que serei crucificado pelos defensores dos diretos dos animais, mas, como purgo antes de pecar, espero que leiam até o final para terem argumentos suficientes para o julgamento por falar sobre a “cão mania”. Uma febre que atingiu a sociedade e já toma as raias do ridículo.

Não faz muito tempo, uma festa de aniversário para um cachorrinho de uma madame da sociedade foi manchete de coluna social e virou notícia nacional. Uma festa com direito a bolo de aniversário e um “parabéns pra você” entoado aos “au-au-au” humano. Talvez apenas uma excentricidade de uma madame virando notícia.

Esse fato isoladamente não teria grande significado, apenas mais uma loucura da sociedade. Ser badalado nos principais meios noticiosos do país é que foi algo preocupante. Notícias caninas ganhando espaço na mídia humana e escondendo notícias humanas. Essa “cão mania” se espalhou e ganhou contornos cada vez mais humanos que, penso, nem os cachorros gostam.

A adoração dos cães é facilmente sentida ao andarmos nas ruas. Cachorros puxam seus donos encoleirados pelas calçadas, praças, vias públicas. Um passeio, pelo menos diário, para desestressar o animal e seu dono. Desestressar inclusive fisiologicamente. Quem nunca pisou no “estresse” de um cachorro caminhando na quadra onde mora? Da quadra pros jornais foi só um passo.

Essa celebridade de ruas deixou as calçadas da fama e está ganhando, cada vez mais, espaço nos meios de comunicação. Os jornais chegam a reservar colunas só para cães. Fotos de cachorrinhos com manchete exortando a adoção. Espaços com notícias caninas. Os meios de comunicação falam mais do abandono ou mau tratos de cachorros do que da violência cometida contra nossa infância desprotegida.

Numa sociedade onde humanos cantam “parabéns pra você” latindo para o aniversário de um cachorro, não me surpreenderia nada encontrar um dono repetindo as letras de uma notícia de jornal sobre o mundo do cão para seu amigo animal.

- Vou repetir de novo. Vê se aprende... já estou cansando de ler o jornal com as fofocas caninas pra você.

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Mutação







Clique na poesia para ver a lua cheia

quarta-feira, 18 de junho de 2008

O poeta suicida

Às vezes, a janela é só o que resta

Mesmo que para atirar o poema amarrotado

Que teima em não querer ser escrito


sexta-feira, 13 de junho de 2008

Mentiras

As pessoas dizem gostar da poesia

Mas, a poesia é que ama as pessoas

Sempre vai ao seu encontro

Raramente as encontra

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Rebeldia

Na nova poesia
Que não podia
Arrisquei a rima
De baixo pra cima
Só por ousadia
Um tanto vazia

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Sistema Único de Sexo

Mulheres e homens, homens e mulheres, são eternos insatisfeitos, desgostando até mesmo da escolha da natureza. Não é difícil encontrar um ser humano que em alguma fase da vida fica insatisfeito com seu sexo. Mas no Brasil o governo vai acabar com essa insatisfação. O ministro da saúde, do cigarro, da bebida alcoólica, do trânsito, José Gomes Temporão, anunciou que o SUS (Sistema Único de Saúde) vai financiar cirurgias de troca de sexo.

Pronto. Nossa insatisfação em relação ao sexo vai ser resolvida e com dinheiro do contribuinte, paga pelo governo. Se não estiver satisfeito com seu sexo basta recorrer ao SUS (Sistema Único de Sexo), operar de graça e trocar.

Se você for um dos milhões de brasileiros que está na fila da saúde pública para uma cirurgia eletiva dos olhos para ver melhor, do ouvido para poder escutar, ortopédica para voltar a andar bem ou até cardíaca para continuar vivo, saia da fila. Recorra ao SUS para trocar de sexo e, tente , de quebra, resolver o outro “probleminha” que atrapalha sua vida há anos.

Claro que tudo que é de graça vindo do governo tem um preço. Os deputados ligados ao Palácio do Planalto querem ressuscitar a CPMF para, segundo os políticos (você acredita no que dizem os políticos?), arrecadar mais dinheiro para a saúde e assim melhor o atendimento ao povo. O novo imposto foi batizado pelo PT, que sugeriu a medida, de CSS, que com a nova proposta do ministro Temporão, deve ser “Contribuição do Sexo Satisfatório”.

Aos deslumbrados com novidades e alegrinhos apenas um aviso. No seu pronunciamento o ministro não explicou se o SUS vai pagar mais de uma operação de troca de sexo por cidadão. E isso já começa a ser um problema. Como somos eternos insatisfeitos, ao trocar de sexo podemos querer destrocar depois, desgostosos. Nesse caso, se o governo não pagar, fica por conta de cada um. Vai correr o risco?

domingo, 1 de junho de 2008

A eterna busca

Quando tentamos o novo
De novo
Envelhecemos
Mas ao buscarmos
Rejuvenescemos
De novo
Por querer o novo