sábado, 27 de abril de 2013

O prazer da preguiça

 
Em plena sexta-feira 
Como de costume
Não fui à feira
Quis me desrotinizar
Mudar o piscar do vaga-lume
Colorido e colorindo
Mas em preto e branco
No pirilampo do meu olhar
Aquietando, deixei-me sem lume
Todo o dia, noturnamente, a vadear


terça-feira, 23 de abril de 2013

Redes


Por entre as malhas
Vem-me o mundo
Liberto e solitário
Livremente imundo
Em tanto imaginário
E eu, ali
Namorando a lua
Longes, assépticos

Foto: Chiko Kuneski


quinta-feira, 11 de abril de 2013

Vida atual



No correr da carruagem
 Somos o cavalo
 Preso às rédeas, à ferragem

 

terça-feira, 9 de abril de 2013

Da sabedoria do envelhecer
















Para prosseguir
Atrasei meu passo
Passei a decidir
O ritmo do paço
Fiz minha necessidade
Defini meu compasso
Respeitei minha idade
Parei de atrás correr
Para tantos, tontos
Ando, agora, à frente
Refiz-me gente
 

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Imagem da paixão



 

O melhor beijo é o medido
Mensurado, mas incontido
Provocador e sentido
Para não ser o beijar perdido
Deve vir primeiro do olhar
Do quase tocar
Do prever o prazer do beijo
Tem que ser sempre o primeiro
Mesmo que pela eternidade
Pelo átimo da eterna idade
Um beijar derradeiro