domingo, 3 de fevereiro de 2013

Fechado pra balanço

 










No final do dia, nada mais pensava

Cansado de tanta informação

Desencontrada

Soluçava minha gastrite

Por tanta convulsão

Doía-me a atrite

A bursite, a constipação

Afogado, eu suspirava

Mas o meu país já não me vinha

Nem em vinha; nem em vinho

Sem saída, me dopava

Em pílulas, pesadelava

Noite à fora

Tentando acordar na hora

De reencontrarem o caminho

Um comentário:

Naninha disse...

Muito lindo o que escreveste, Chiko!
Estamos todos ainda em choque, mas com a certeza de que devemos mesmo reencontrar o caminho...
Bjão