quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Próprio da depressão



Havia um tempo em que via
Toda a vida à janela
Passeando do outro lado
Via-me nela
Emoldurado
De dentro pra fora
Em mim mesmo enclausurado
Havia um tempo
Lento, soturno, arrastado
Tempo jogado fora
Tempo demasiado

3 comentários:

Maria Quitéria disse...

Show de letras.

Anne Baylor disse...

Tempo passado...
é dia de tempo novo.

Amei isso aqui.

Venha me visitar.

Bjus

=]

Saramar disse...

Todo tempo assim é demasiado, um manto negro e pesado.

Beijos, saudades.
P.S. estive muito doente. Agora, estou melhorando e volto a visitar os amigos.