terça-feira, 22 de abril de 2008

Próprio do vício


Um comentário:

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Não sei, amigo! Posso discordar um pouquinho? Pra mim é um ATO ATÉ DE AMOR...quando você se entrega ao próximo com retidão, informando e dizendo da sua experiência de vida, a coisa flui, tem retorno, é gostoso, é um "orgasmo". Não seja tão "apolínio" assim, seja mais "baco" de vez em quando, nos entreguemos na embriaguês do deus do vinho. Ai, e eu que nem posso mais beber...que vontade!!! Abração, Vanuza