sábado, 26 de abril de 2008

Você é nomofóbico?


A modernidade exige uma adaptação morfológica da língua que transcende os idiomas. Aliás, sempre se fez isso, mas agora as explicações são menos acadêmicas. Pergunte a um catedrático em língua portuguesa o que é um nomofóbico? Se ele não estiver “plugado” no mundo moderno, ou melhor, contemporâneo, a morfologia de tal palavra escapará ao conhecimento. Fobia é fácil. Mas o quê é “nomo”?

“Nomo” é uma abreviação inglesa de “no mobile”, ou, literalmente, sem celular. Juntando a corruptela ao mais puro latim “phobia”, a contemporaneidade cria o termo “nomofóbico”, ou, ao pé da letra, mais ou menos, que tem pavor de ficar sem celular. Abaixo, dez perguntas básicas do blog para saber se você é ou não um "nomofóbico”.

Responda honestamente. Você está só e sem espelho.


1- Sente a mão suar quando descobre que esqueceu o celular?
2- Atende dirigindo, afinal se é uma comunicação móvel é para automóvel?
3- Tocam juntos o telefone com fio e o celular e você atende primeiro o celular?
4- Não consegue mais atender o telefone com fio porque não dá pra ficar andando de um lado para o outro?
5- Fica nervoso quando vê que a bateria está para terminar?
6- Entra em pânico quando está numa ligação e ouve o bip da bateria?
7- Carrega o celular sempre junto do corpo com medo que toque e não dê tempo de atender?
8- Escreve melhor e mais rápido no teclado do celular para enviar mensagens do que no computador?
9- Vive ligando para a operadora para ver se ainda tem créditos suficientes no pré-pago?
10- Tem sempre dois celulares e de operadoras diferentes com medo que um fique fora da área?

Se você respondeu sim a qualquer das perguntas, procure urgentemente a sua operadora de celular e mude seu plano para mais minutos. Você é dependente.

5 comentários:

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Chiko, bom final de semana!Olha, não me apego a celular, não fumo, não bebo, faço dieta e...sexo. Bem, também não sou de ferro, rssss. Passei no teste! Ah, quanto a futebol, só garrincha e o pessoal da copa de 70, que, na maioria já morreram ou tão tudo caquéticos. Eu sou normal? Responda-me, por favor!!! Ihhhh, rapaz! Cismei de se blogueira, peguei a doença...convidei meu filho pra fazer um "textículo", dá pra dar uma força? Chega, chega, a panela tá queimandoooooo...beijossss, Van

Anônimo disse...

Chiko,
gostei muito do texto e dos que li após ele.
Tás te tornando muito bom nisso.
Um abraço,
Zulmar

Sonia Regly disse...

Seu Blog é um show de cultura, parabéns!!!!Cheguei até aqui através do Encanto da Elisabete. Vim te convidar para conhecer o Compartilhando as Letras, sua visita muito me honrará.
www.compartilhandoasletras.blogspot.com

Mylene Margarida disse...

Eu comprei um telefone sem fio para poder falar enquanto ando pela casa. Isso é algum sintoma grave?? hehehe

Bjs!!!!

JADY ALVES disse...

Chiko, Tal a Van, tbm não sou adepta de celular, nunca tive e ainda não senti vontade de ter, qdo o fone toca olho a Bina, pra ver se é importante, se não reconheço o Nº... hummm, melhor não me aborrecer, prefiro deixar tocando, uma hora ele cansa e sossega meu ouvido, ai ai, posso dizer que sou "amante a moda antiga"... Ou vc diria que sou uma Homo sapien, ah, eu adoro acampar rss... O tempo passa... O tempo voa... E a poupança "BAMERINDUS"(ainda existe?) kkk... Continua numa boa... Vacina anti-Spyware, disso estou precisando... rss
Ah! Estou amando esse BLOG, ta ficando MUITO SHOWWW!!! Beijoss