segunda-feira, 30 de junho de 2008

Sem tempo


Na correria do dia-a-dia

A morte não parava

E eu, correndo, me ia

Nenhum comentário: