quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Inversão

Chove uma chuva sem sentido
Chuva sem nexo
Chuva sem vestido
Chuva sem calças
Chovendo sem sexo
Água de verão em inverno
Assexuando as roupas
Molhando,
Transparecendo,
Mostrando
Corpos na chuva
Frios eriçados
Moldados
Tecendo
Em pleno inverno
Desejos quentes
Desperdiçados.

2 comentários:

Annie Nogueira disse...

Olá Chiko!

Adoro poemas "molhados" rs.. E Esse teu é sensualíssimo.

Senti-me lisonjeada com tua visita!

Agora que te descobri teu blog, as visitas serão constantes...

Espero que continuemos as trocas.

Um beijo,

Annie

Stephanie de Sá disse...

Nossa, me bateu uma loucura interna aqui... muito bom esse poema.