quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

O analfabeto

Quero ler-te em braile
Mas não o texto;
O não escrito
O não dito
As entrelinhas
Quero ler-te em braile
As marcações
Os rodapés
Os adendos
Os asteriscos
Quero ler-te em braile
Sem tocar símbolos
Tateando sonhos
Buscando o suave
Do papel ainda virgem





Um comentário:

Ricardo Rayol disse...

Um belo tateio esse.